2 meses em Portugal – Dicas e Experiências

É galera…

Acabamos de fazer 2 meses aqui em Portugal!!!

Nossa…quantas coisas passamos, quantos erros cometemos e o quanto descobrimos nesse tempo.

Sim, descobrir lugares é legal…faz parte. Mas o que descobrimos vai muito além disso.

Nessa vida de imigrante você se reinventa todo dia…descobre quem são seus verdadeiros amigos (e olha que surpreende hein)…descobre que você é capaz de quebrar seus próprios preconceitos, enfim….você percebe que se você chegou até aqui…..você é capaz de conseguir tudo o que quiser.

Mas não é fácil largar sua pátria e se arriscar em um lugar desconhecido.

A vida de recém expatriado é uma constante montanha russa, onde hoje você está bem e amanhã a saudade te devasta, te dando uma vontade louca de pegar o primeiro vôo para sua terra de origem.

Hoje você está animado…cheio de planos…amanhã? Não se sabe…

Aliás…você tem que aprender a viver com o poder da incerteza, abstrair e viver um dia de cada vez….nem criar muita expectativa e nem sofrer com antecedência. Simplesmente deixar acontecer. Afinal….muitas coisas não dependem de você.

Tudo é um constante aprendizado. É descobrir o jeito certo de falar seu número de telefone, decorar seu endereço, aprender o caminho do mercado, descobrir qual é o melhor mercado, qual é a melhor carne, a melhor escola, onde estacionar, onde ir, o que fazer, como preencher um formulário, etc…etc..etc…….e eu poderia ficar aqui listando milhares de coisas que antes nos eram corriqueiras e agora se tornam grandes desafios com direito a grandes comemorações quando conquistados.

Mas veja bem….eu disse que não é fácil…e não que não é bom…Por isso vou relatar aqui algumas dicas e experiência que deram certo comigo, para que você tenha uma boa chegada aqui em Portugal.

1 – Prepare-se financeiramente e psicologicamente

Nem preciso falar que você deve estar preparado financeiramente pra esse projeto. Ainda mais nesse início, em que gastasse muito com documentação, moradia e transporte.

Qualquer documentação que se vai tirar é paga.

Pra ter noção, para o processo de equivalência da profissão do Marcus, tivemos que desembolsar a quantia de 500 euros.

Mas tão importante quanto o preparo financeiro é o preparo psicológico.

Você pode trazer o dinheiro que for, mas se você não tiver preparado psicologicamente pra enfrentar os altos e baixos…seu sonho pode ir por água abaixo.

E tenha em mente que tudo o que você planejou, sairá bem diferente aqui.

Pode ter certeza que você vai precisar correr atrás de um documento de última hora. Vai se desesperar com um prazo dado. Vai receber muitos nãos e muitas caras feias.

Mas não se abale….todo mundo passa por isso.

2 – Pesquise…mas filtre

Pesquise muito sobre locais, vistos, documentação. Participe de grupos de facebook. Entre em contato com as pessoas. Muita gente está disposta a ajudar (eu sou uma delas…esteja a vontade pra mandar email ou se preferir pode falar comigo no instagram @encontrodemamaes).

Mas não tome como verdade absoluta uma experiência. Ouça vários relatos. Converse com várias pessoas e dê preferência a conversar com pessoas que moram onde você vai (ou pretende) morar.

Aqui em Portugal as informações, prazos, documentações mudam muito de um lugar para o outro. Por isso é bom ter sempre por base pessoas que moram na mesma região que você escolheu.

Mas lembre-se que cada caso é um caso.
Uns vem com cidadania, outros com visto, outros como turista….portanto, procure ouvir pessoas com a situação parecida com a sua.

3 – Conheça seus direitos

Tenha na ponta da língua seus direitos.

Percebi muito aqui o desencontro de informações. Eu mesma quando fui tirar meu NIF (Número de Identificação Fiscal, que falarei mais abaixo) tive problemas e a atendente não quis tirar. Mas argumentei com meus conhecimentos, ela chamou uma outra atendente e em meia hora estávamos nós 4 com o NIF na mão.

Uma outra dica muito importante é sobre o livro de reclamações.

Sempre que se sentir lesado ou mal atendido peça o livro de reclamações do estabelecimento. Eles dão muito valor a isso.

Comprovei na prática no SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), quando a atendente nem olhou para a minha cara e ainda me passou informação errada.

Pedi o livro de reclamações e o atendimento mudou.

Se eu não conhecesse meus direitos e não batesse o pé, só daria a entrada na residência do Marcus em outubro, correndo o risco de ficar pronta somente no ano que vem.

4 – Aculture-se

Se é que essa palavra existe.

Mas pesquise sobre a cultura do local e quando saltar do avião, absorva tudo o que aprendeu. Incorpora.

Parece bobagem…mas você vai evitar muitos atritos se souber lidar com a nova cultura e meio caminho já estará andado e desgastes psicológicos serão evitados.

5 – Planeje sua chegada

Por último mas não menos importante, planeje sua chegada.

Mas planeje…planeje muito, pois como sempre falo aqui…por mais planejado que tenha sido…nunca sai da maneira que você planejou.

Por isso,  escrevo aqui algumas dicas fundamentais do que passei, para ajudar você no seu planejamento.

Mas lembre-se….essa é minha experiência, com você pode ser diferente.

  • Adaptação x época
    Quando se viaja com 2 crianças, principalmente uma mudança tão drástica, temos que levar em conta o clima, para facilitar ainda mais a adaptação deles.
    Por esse motivo escolhi o mês de maio/junho para chegar. Verão chegando. Temperatura mais parecida com a do Brasil…tudo fica mais fácil.Sim, deveria….mas nem tudo, mas isso é papo pra ouro post.Mas chegar no verão realmente facilitou a nossa vida para muitas coisas. Para outras nem tanto (mas prometo ser o próximo post).Facilitou porque tudo fica mais alegre. A cidade super ativa e cheia de eventos.
    Além do choque de temperatura ser menor. Imagina só…fazer toda a burocracia com crianças, de comboio (trem) com vento gelado e chuva? Não rola né?
  • Moradia
    Pois bem…continuando, fiquei tão preocupada com a adaptação das meninas ao clima que não me atentei ao principal.
    Vim morar em Cascais em junho….cidade de praia, férias…Europa em peso vem pra cá.
    Logo: pouca oferta, muita procura….preços lá em cima e o mais difícil: você, estrangeiro, sem fiador e tendo que concorrer com outros portugueses na proposta.Sem exagero, os imóveis era meio que leiloados.Aparecia um imóvel e se não ligasse no dia, ele já corria o risco de ser arrendado (alugado).
    Se você der a sorte de conseguir marcar a visita. Já faça sua proposta.
    Como não tínhamos fiador e nem contrato de trabalho, nossa solução foi oferecer o pagamento adiantado de um ano.Foi duro, mas conseguimos achar nosso ap. e colocamos ele da nossa carinha.Ainda não é o ap que sonhamos, mas como sempre falo…um dia de cada vez.
  • Escola
    Chegamos em uma época em que as escolas estavam começando a entrar de férias.
    isso é bom, pois as meninas vão entrar no início do ano letivo (setembro) e não pegarão a turma já encaminhada…o que facilita a adaptação.Por outro lado, o que fazer com 2 crianças, 3 meses em casa no auge da energia?Bem, a Bela coloquei durante 1 mês na ATL (Atividade de Tempo Livre), espécie de colônia de férias aqui. Marina é muito pequenina ainda. De resto…só nos resta turistar…com aquela sensação boa de não ser mais turistas rs.Outro ponto positivo é que consegui pegar a inscrição das escolas públicas, ou seja, consegui matricular a Bela na escola pública ao lado de casa.
    A Marina por ser infantário, precisa ir para o o particular.
  • Documentação
    Esse tópico merece um post exclusivo, e farei em breve, mas já adianto algumas coisas.
    Assim que chegar já faça o NIF para você e seus filhos. NIF (Número de Identificação Fiscal) é como se fosse o CPF do Brasil.
    Sem NIF você não é ninguém aqui.
    Se você não é cidadão, basta levar passaporte e comprovante de residência do Brasil (sim…é verdade rs…do Brasil). você precisará também de um cidadão para ser o seu “responsável” e assinar por você.Se você é cidadão, basta levar seu passaporte português ou cartão cidadão e um comprovativo de morada (comprovante de residência de Portugal) e o NIF estará feito.O NIF é feito a loja do cidadão de sua cidade/freguesia.E se você vai tirar a residência, precisa agendar sua ida no SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) e no dia agendado precisa ir munido de uma gama de documentação:passaporte, antecedentes criminais (que se tira na Polícia Federal no Brasil ou no Consulado Brasileiro aqui em Portugal), comprovativo de morada, comprovativos dos meios de subsistência ou extratos bancários de Portugal e no caso do meu marido, como sou cidadã, ele precisava mostrar a certidão de casamento Portuguesa ou o assento de Casamento.
    IMPORTANTE:O SEF em Cascais está demorando no mínimo 3 meses para fazer a marcação. Em Lisboa são 6 meses. Agende do Brasil.
    Nós agendamos em fevereiro, para  junho, e em um mês meu marido estava com a residência em mãos.

É isso pessoal, prometo me aprofundar nesses assuntos. E se você deseja saber como se deu nosso processo de chegada até aqui….basta acessar esse Post

Mandem nos comentários sugestões de temas e se gostou compartilha.

AHHH e segue a gente lá no instagram: @encontrodemamaes

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: