Birra – 7 dicas para lidar com ela

É…a fase do Terrible TWO ou do Terrible quase TWO não é nada fácil.
Se você não sabe o que é…dá uma olhadinha nesse POST que eu fiz quando a Bela estava prestes a fazer 3 anos.

Mas Marina furacão, como vocês sabem já chegou chegando e a sequência de birra começou cedo aqui, com 1 ano e meio. E diferente da Bela, não é só responder e fazer cara feia não. Com Marina furacão o negócio é mais embaixo. Ela se joga no chão, deita de barriga pra cima e fica gritando. E ai de você se ousar encostar nela….o que era ruim fica pior…ela se transforma…quer se soltar do seu braço….se pegar então já era…ela quer se jogar do colo…resumindo: SHOW DE HORRORES…Tudo que eu jurei que filha minha não ia fazer. Mas, como ser mãe é pagar a língua, ela foi lá e fez.

Mas, como nem tudo está perdido, existe o Dr. Google, blogs e especialistas para nos ajudarem,

Reuni aqui 7 dicas do que tenho feito e que tem me ajudado bastante nesse momento de terror da birra rs.

Começando a birra

Começando a birra

Mantenha a Calma

Falar é fácil né? Mas na prática é BEM complicado.

Mas não adianta, TEMOS que manter a calma. Se você estiver desesperada e não souber como agir aí lascou.

Vê como seu filho se comporta melhor: Se com você do lado dele ou com você saindo de perto.

Aqui Marina quando vê que eu estou do lado dela, mas ignorando ela dá uma parada, já que percebe que o chilique não tá colando muito não.

Olho pra ela e falo: “Quando acabar o chilique, agente conversa.”. Pego uma revista qualquer…até o encarte do mercado rs e começo a ler, só pra ela ver que não é o foco.

Há crianças em que os pais saindo de perto se comportam melhor. Mas não foi o caso aqui.

Tenta e vê o que é melhor para seu bebê.

Evite conversar com seu filho no momento da birra

Não adianta. É super tentador a gente querer conversar, pedir pra parar.

Mas a real mesmo é que você começa a falar…ele grita daqui…você grita de lá…ele grita mais…você se descontrola e grita mais ainda e a gritaria está generalizada e dominou o ambiente e sabe qual é o pior: ele não está ouvindo absolutamente NADA do que você está dizendo. Ou melhor….GRITANDO.

Portanto quando a crise passar, converse com ele. Pergunta o que estava deixando ele mal e que se ele não falar não tem como saber.

Aqui a Marina ainda não fala direito. Então normalmente pergunto: é isso que você quer? é o desenho que você que ver? é o copo que quer pegar?

Quando ela responder SIM, aí eu explico, falo que não gostei do que ela fez. NUNCA a chamo de feia, mas enfatizo que ela mostrando e apontando a mamãe pode ajudá-la.

Não ceda ao chilique e a birra

Principalmente em público é bem complicado.

A vontade é sair dando pra criança tudo o que você vê pela frente pra distraí-lo.

Lógico, ficamos constrangidos. Mas quando acontecer em público não tem jeito. A solução é pegar a criança a força e levar para um lugar mais tranquilo.

Afinal, ninguém merece assistir a cena e você acabará ficando mais stressada e com vergonha.

Consequência: ou você vai ceder e vai acabar estragando tudo o que ensinou ou vai ficar tão stressada que vai acabar se descontrolando e por mais irritante que seja, ele precisa de compreensão nesse momento.

Dê castigos fáceis de cumprir

SIM, sou super a favor do castigo e aqui está funcionando bem.

Desaprovei? Vai pro castigo.

Não no momento do ataque, mas depois vai. Coloco ela no quarto e falo: “Você sabe que a mamãe não gostou do que você fez né? Vai ficar de castigo pensando no que fez.

Saio e encosto a porta. Não exijo que ela fique sentada. Mas ela fica no quarto sem brincar.

E vamos combinar. Para uma criança de um ano (quase dois), 2 minutinhos de castigo é o suficiente.

A médica aqui de Portugal recomendou um minuto por idade.

Mostre que o ama e o que é certo

Isso aí, birra amenizada, castigo castigo cumprido? Hora de dar aquele abraço gostos e enfatizar que assim que é bonito e assim que você quer que seja.

Normalmente entro no quarto depois do castigo e falo: “Você pensou no que você fez? Agora me dá um beijinho.” e depois do beijinho eu faço a festa mostrando que essas atitudes que são corretas.

Evite situações de stress

Você conhece seu filho mais do que ninguém.

Tente então evitar situações que você sabe que pode vir a gerar um stress.

Se sabe que ele fica irritado com fome, leva um lanchinho.

Se sabe que vai sair e demorar e ele com sono fica o catiço, leva o carrinho. uma mantinha e deixa ele tirar um cochilinho.

Relaxe

Perceba se durante o dia você não tem falado muito NÃO, deixando seu filho muito irritado e criando um stress desnecessário.

Será que comer uma batatinha frita vai fazer tanto mal assim? Será que 5 minutinhos a mais brincando vai atrapalhar seu dia? E aquele sapato nada a ver? ninguém vai morrer se ele usar.

Pense nisso.

Curtiu? Não esquece de compartilhar e seguir a gente no instagram e Facebook,

@encontrodemamaes

 

Deixe um comentário