O PIOR dia da minha vida!

Essa semana fez exatamente 2 anos do pior dia da minha vida.

Acho que nunca contei aqui, mas agora resolvi me abrir e alertar aos pais a importância do cinto de segurança e da cadeirinha de bebê nos automóveis.

Lembro como se fosse hoje. Festa de dia das crianças no trabalho. Bela toda animada. Marina, ainda na barriga no auge dos meus 6 meses de gravidez.

Estávamos as duas (Bela e eu) super empolgadas com a festa. Falamos nisso a semana inteira.

Deixei a Bela na creche e fui para o trabalho. Bela estava LINDA com o vestido que ela mesmo escolheu. Fiz o penteado do jeito que ela gostava…pra todo mundo elogiar.

O combinado era às 12:00 hs eu ir buscá-la para ela curtir a festa do trabalho da mamãe junto com as outras crianças enquanto a mamãe trabalhava. Ou tentava. Era uma sexta feira.

Perto de 12:00 fui buscá-la….feliz e contente. Muita coisa pra fazer no trabalho. Aquela pressão. Festa. Trânsito. Reunião. Enfim…

Cheguei na creche…Coloquei-a na cadeirinha do carro. Coloquei o cinto de segurança. FOI MINHA SORTE. Sorte não…obrigação. Mas como no RJ às vezes temos que escolher se colocamos o cinto ou não, pois nunca sabemos quando precisamos tirá-los correndo, a OBRIGAÇÃO se transformou em SORTE.

Entrei no carro. Com a dificuldade de quem estava prestes a entrar nos 7 meses de gravidez….como barrigão. Sentei. Coloquei meu cinto e fomos….

Cantando como sempre fazíamos.

Há exatos 5 minutos de chegar ao trabalho….uma curva em S…junto da curva entrou comigo um caminhão….aí já era…

Aquele barulho não saí da minha cabeça até hoje.

Ele pegou a minha lateral traseira…meu carro rodou pra frente dele…e então ele me arrastou alguns metros até pararmos na mureta da obra.

Segundos que viraram uma eternidade….

Lembro até hoje o carro rodando e eu com a mão pra trás acalmando a Isabela. DESESPERADOR é a palavra.

o pior dia da minha vida.

Onde o caminhão parou

E aí Simone, o que aconteceu?

Junta gente. Querem tirar a Bela. Eu não deixo….ela estava assustada.

Querem me tirar…eu também não deixo.

Só queria ligar para o Marcus, meu marido. Mão treme. Dedo não funciona. Opa…consegui sincronizar e lembrar o número.

ligo 1, ligo 2, ligo 3….ligo 20…desisti, ele estava dando aula e não fica perto do celular.

Ligo pro meu chefe que estava há 5 minutos de lá. Não atendeu…reunião.

Ligo para uma colega de trabalho…começo a chorar e em instantes meus colegas se prontificam a sair para me ajudar.

No mesmo instante e como uma transmissão de pensamento, sei lá, a dinda da Bela me ligou. Devido a correria do dia a dia, só nos falávamos por mensagem. Mas ela sentiu….aliás…ela sempre sente meus apuros. Largou a filha recém nascida e foi lá….me ajudar.

Pessoas continuavam a juntar e eu há 5 minutos no carro só falando que queria falar com meu marido.

Surge uma alma boa e junto com o caminhoneiro me ajuda a sair do carro. Ele morava em frente. Ele tira minha filha do carro e a pega no colo. Eles vêem o tamanho da minha barriga e quase infartam.

Os bombeiros chegam eu já estou na administração do condomínio e querem me levar para o hospital público. Eu estava muito nervosa, mas bem. Bela muito nervosa…mas bem.

E Marina? Não sei….precisava saber dela com toda a segurança do mundo e um hospital público não seria o melhor lugar.

Falo com o bombeiro que não quero ir. Ele mede minha pressão e me dá um termo para assinar.

Meus amigos chegam e tentam levar meu carro pro trabalho.

A dinda da Bela chega e me leva para a maternidade para saber da Marina.

Nisso a gente tenta ligar para o Marcus….21, 22, 23… 48, 49 vezes até que ele atende e vai direto para o hospital.

o pior dia da minha vida

Caminhão no carro

Ficou tudo bem?

SIM! graças a DEUS.

O cinto de segurança e a cadeirinha salvaram minha filha. NUNCA deixem de usar. Ensinem seus filhos a se soltarem em caso de emergência. Mas coloquem o cinto de segurança neles.

O caminhão entrou EXATAMENTE onde eu estava sentada dirigindo e por um milagre nada aconteceu.

o pior dia da minha vida - porta do carro

Porta do carro

O que você aprendeu no pior dia da sua vida?

Aprendi a desacelerar por mim….por elas.

Não…eu não estava rápida no dia do acidente. Não é meu perfil ainda mais com a Bela no carro. Poderia estar desatenta talvez. Pensando nas coisas que eu tinha que fazer. Na reunião que eu precisava organizar. Na festa que minha filha tinha que aproveitar.

Ainda tenho muito o que melhorar…mas uma coisa aprendi: NADA é mais importante do que a minha família. Trabalho nenhum no mundo que traga todo o dinheiro do mundo vai me proporcionar o bem estar de estar com eles.

Hoje não vivo só um dia de cada vez, como uma hora de cada vez. Quem sabe consiga diminuir pra um minuto de cada vez.

E o carro?

Deu perda total….mas isso é só bem material.

*As fotos foram tiradas pela mesma alma boa que me ajudou. Tirou para fins de seguro.

E você? Já passou por algo parecido? Estava de cinto? Conta aqui pra gente.

2 comentários sobre “O PIOR dia da minha vida!

  1. Beatriz Rebelo

    Sim… também o maior susto da minha vida e até hoje os gritos do meu marido não saem da minha cabeça! Estávamos na Marginal Tietê indo para o interior na casa da minha mãe. Era uma sexta-feira, minha filha tinha 6 meses, eu estava no meu último fim de semana da Licença Maternidade. Estávamos na pista do meio, na feliz época em que a velocidade das marginais tinham sido reduzidas (e que o prefeito atual fez o favor de elevar novamente). Estava atrás com minha filha e ela estava devidamente acomodada no bebê conforto. Eu tinha encontrado meu marido na empresa dele que é ali pertinho da marginal. Ele assumiu o volante e eu entrei atrás e fui ajeitando as coisas, brincando com minha filha e me esqueci do meu cinto (sempre usava atrás… provavelmente ia lembrar de colocar apenas quando entrasse na rodovia)… um caminhão que vinha do nosso lado (que na minha memória parecia ser amarelo), sai da pista dele e bateu na lateral- traseira do nosso carro (dormiu ou estava no celular… não sabemos)… o nosso carro era leve… meu marido perdeu o controle do carro e bateu na mureta… o carro que vinha atrás não consegue frear e também bate na gente, o carro roda, bate de novo na mureta e capota! Tudo isso foi uma eternidade… eu não tirava os olhos da minha bebê enquanto gritava e aquele carro rodopiando… eu sem cinto só tentava me segurar e proteger minha filha. O carro pára de lado, com a parte do lado motorista para baixo… lado também que estava o bebê conforto. Minha filha chora e meu marido só diz “a bebê tá bem, ela tá bem, ela tá bem” . Muitas pessoas param… meu marido diz que nem sabe como saiu do carro. Eu fico um pouco lá dentro ainda sem saber se estava machucada ou não. Tiro o cinto do bebê conforto e peço para tirarem ela sem soltá-la do bebê conforto. Consigo me levantar e sair, tremendo muito. Estava passando um carro dos bombeiros… eles levaram eu e minha filha para o hospital particular, fugiram do protocolo. Eu estava de chinelo porque tinha feito a unha e a única coisa que aconteceu, eu quebrei uma unha do pé! Minha bebêzinha, que hoje já tem 2 aninhos, ficou super bem, assustou só na hora mas como ainda era muito pequena não entendia o que estava acontecendo e logo já ficou bem, chegou sorrindo no hospital. Nossa Senhora estava lá, nos protegeu com todo seu amor. O caminhão fugiu. Se estivéssemos numa velocidade maior, assim como os carros que vinham atrás… nem sei o que poderia ter acontecido. Desde esse dia, passei a repensar mais ainda minha vida… e já foi plantada a sementinha de sair de São Paulo e ir para um lugar mais tranquilo… abril do ano que vem nos mudamos aí para o interior do Norte de Portugal. É um susto que nunca esquecemos né? Aquele medo de mãe de que alguma coisa vai acontecer a qualquer momento… eu lembro que pensava… pronto aconteceu, agora nada vai mais acontecer! E que assim seja! Beijos

  2. encontrodemamaes Autor da Postagem

    Caramba Bia…
    Que bom que todos saíram ilesos.
    Temos que tirar algo bom dessas situações…o aprendizado fica de que família é o nosso bem mais precioso. Deus nos dá um susto às vezes pra aprendermos a lição😘

Deixe um comentário