Terrible Two…Como lidar?

terrible two

A Bela era uma menina calma, super pacífica. Não reclamava de nada.

Colocar a fralda era com ela mesmo…ficava quietinha brincando comigo. O banho então….era uma festa. Trocar de roupa ela adorava. Levantava o bracinho bonitinha pra eu colocar.

Sapato? Começou a colocar sozinha e quando não conseguia vinha até mim pedindo ajuda.

Mas da noite para o dia, toda essa calmaria passou e começaram os “NÃOS”.

Vamos tomar banho bela? NÃO QUERO TOMAR BANHO (isso mesmo…achando que tinha alguma autoridade). Bela, vamos colocar a roupinha…” NÃO VOU COLOCAR A ROUPINHA”… e assim por diante.

Se não conseguisse colocar o sapato então…era arremessado a quilômetros de distância.

Se fosse só simplesmente o “NÃO”, não teria problema. O problema é que ele vem acompanhado de um ataque de birra em que ela se se debate, trava as pernas e não há santo que consiga dominar. Se tiver alguma coisa na mão então….sai de baixo. Isso quando não vem acompanhado de um tapa na cara mamãe.

Quem não tem filho deve estar pensando: “Isso é papo de mãe sem moral”. Ok, confesso que também já pensei assim.

Quem tem filho com mais de 2 anos, provavelmente se identificou com essas cenas.

Pois é….o famoso terrible two chegou aqui…e está difícil de ir embora.

Mas afinal, o que é o famoso Terrible Two?

Nunca tinha ouvido falar nisso. Até que a Bela começou a acordar virada no Samurai e fui pesquisar o que estava acontecendo. O terrible two é a adolescência das crianças (isso mesmo…você achou que só ia se preocupar com isso daqui há uns 12 , 13 anos né??? ledo engano rs),

Acontece entre 1 ano e meio e 3 anos de idade, quando a criança passa a se reconhecer como indivíduo e passa a não mais aceitar a decisão dos pais e quer tomar suas próprias decisões.

Mas como eles ainda não sabem se expressar direito, é mais fácil chorar, jogar e espernear do que outra coisa.

O que fazer para passar logo?

Só rezar rsrsrsrs. Temos que ter em mente que isso é uma fase e como toda fase tem seu tempo e passa. Aqui em casa está se arrastando por uns 4 meses já. Mas de um mês para cá se potencializou.

Tudo é um escândalo. Por sinal, acabei de sair do banho com ela e esses minutinhos pareciam uma eternidade. Ela chorou, soluçou, esperneou durante o banho todo.

Como lidar com a situação?

Bem, pesquisando esses dias, eu vi que estava fazendo tudo errado. Normalmente os ataques da Bela são de manhã no momento que estou me arrumando para o trabalho…ou seja…não tem como ser mais estressante né.

Ai já viu…minha paciência ia para as cucuias. Era uma gritaria dentro de casa, um tumulto e só piorava. Eu irritada, Bela chorando e marido de mau humor.

Normalmente eu olhava pra ela com cara de brava e falava firme, mas nada adiantava. Aí comecei a apelar pela troca. “OK, Isabela, você quer a chupeta? Então vamos colocar a roupa. Depois que colocar te dou a chupeta”. Acho isso péssimo e vi que também não estava adiantando. E então eu deixava chorar e ficava gritando que nem uma louca com ela.

Nada adiantou….

Agora vou colocar em prática a dica dos especialistas, mas com algumas adaptações rs.

Primeiro vou abaixar o tom de voz e falar olhando no olho da Bela com a voz firme e brava o porque aquilo não pode, ou porque tem que ser feito (dependendo da situação, como um banho por exemplo).

Se não funcionar, vamos para a estratégia 2 (aff…tática de guerrilha isso aqui rs). Desviar o foco. Chamar atenção dela para outra coisa.

Confesso que não sou a favor disso. Me dá a impressão que estou apavorada com a reação dela e preciso desviar a atenção. Pra mim eles tem que aprender na hora o que é certo e o que é errado. Mas vamos tentar e ver se mudo de opinião.

Não funcionou? Dar o tempo dela é a melhor solução….Afinal, nas minhas pesquisas vi que eles não fazem de propósito. É somente uma dificuldade em se expressar. Então, darei o tempo dela (atrasada para o trabalho será uma beleza), e deixarei dando o ataque até passar, afinal, se é ibope que eles querem, quanto menos dar…melhor.

Quando acabar a birra, aí sim eu passo o sermãozinho básico.

Será que vai funcionar? Rezem por mim que eu volto aqui para contar para vocês. rs

E você como lida com esses ataques?

Compartilhe sua experiência.

Deixe um comentário